quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Somos todos iguais


Todos nós fazemos Kung Fu por algum motivo. Melhora da capacidade física, concentração, simplesmente porque acha legal, enfim cada um tem o seu. Isso é pouco importante.
O que importa é que todos nos escolhemos o Kung Fu, treinamos, nos dedicamos, alguns mais, outros menos, mas todos estamos lá, treinando, aprendendo.

Sendo assim, isso significa que dentro da academia, dentro do ambiente que cerca o Kung fu, todos somos iguais, certo?
Eu não tenho dúvida nenhuma de que esta afirmação seja verdadeira, mas é com uma certa decepção que eu vejo que muitas vezes não é bem assim que a coisa funciona.

O que importa se fulano de tal é um zé ninguém fora da academia, que só faz burrada por ai, ou se a cor do cabelo dele não é do seu gosto?? Ele não treina Kung fu com vc? Vcs não tem algo em comum? Não é esse o único motivo de vc ter que conviver com aquela pessoa?

Então, por que essa pessoa não é digna de respeito? Por que falar mal da pessoa por aí? Por que não tratá-la como trataria qualquer outra pessoa?
Eu simplesmente não vejo resposta para isso!

Qualquer treino fica muito mais agradável quando existe um clima de amizade entre os alunos, mesmo que eles nunca tenham se visto na vida. Afinal, como eu disse antes, vc tem alguma coisa em comum com aqueles outros alunos que estão treinando com vc!

Isso se extende também para os campeonatos, por exemplo. É um ótimo momento de integração entre os praticantes, por mais que exista rivalidade. Todo mundo tem alguma coisa a aprender com o outro.

Cultivar sentimentos ruins em relação à outras pessoas não vale a pena. Só faz mal pra vc mesmo, tira sua concentração e eu diria que até contraria a filosofia do Kung fu.

Portanto, mesmo que vc não tenha motivo algum pra gostar de alguma pessoa, lembre-se de que vc tem sim um motivo. Não preciso repetir né?


Beijo pra vcs!!
Tati
Ocorreu um erro neste gadget